Taça dos Campeões 1967/68
Grandes jogos

Man United x Benfica: A glória de Charlton

Texto por João Pedro Silveira
l0
E0

Foi em 1968: o ano do Maio Revolucionário de Paris e da Primavera de Praga, o ano dos movimentos estudantis nos EUA e do verão de amor dos hippies em São Francisco e Londres. O ano em que os Beatles gravaram o épico álbum branco e que Salazar caiu da cadeira, ano em que o Manchester United conquistou a primeira Taça dos Campeões do futebol inglês.

Em memória dos bebés de Busby

Dez anos depois do desastre aéreo de Munique, onde tinham falecido oito dos Busby Babes, o Manchester United chegava à grande final. Depois da tragédia, United passou por momentos complicados, mas Busby, com muita paciência e trabalho, voltou a formar uma equipa à volta de um dos sobreviventes da tragédia de Munique: Bobby Charlton.

A Inglaterra tinha sido Campeã do Mundo em 1966 e o futebol inglês estava em alta. No ano anterior, o Celtic tinha ganho a final da Taça dos Campeões, quebrando a hegemonia dos países latinos.

O Manchester chegava ao grande jogo, ainda para mais disputado em Wembley,  cheio de esperança na vitória.

Com o seu conterrâneo escocês Dennis Law lesionado, restava a Busby que a genialidade de Best viesse ao de cima no maior palco do mundo para tudo correr como planeado.

Eusébio e companhia

Pela frente, os ingleses tinham o Benfica, já duas vezes campeão europeu e que chegava em Wembley à sua quinta final.

Se a Inglaterra tinha sido Campeã do Mundo, Portugal tinha feito um Mundial de destaque, chegando ao terceiro lugar e tendo em Eusébio o melhor marcador da prova.

Se Charlton jogava no United, Eusébio jogava no Benfica como muitos dos magriços da brilhante campanha de 1966. 

A primeira parte foi muito calma, muito provavelmente devido ao calor incomum que se sentia em Londres nesse dia. Na segunda parte, aos 8 minutos, Charlton colocou os mancunianos na frente com um golo de cabeça. Aos 30 minutos, Jaime Graça empatou para as águias.

Eusébio falha um golo feito e Best resolve

O jogo manteve-se empatado a um até ao fim e foi para prolongamento muito por culpa de Stepney, que defendeu um remate de Eusébio quando este apareceu isolado na sua frente no qual todo o mundo já gritava golo.

No período extra, o calor provocou muito desgaste nos jogadores, especialmente nos benfiquistas que estranhamente pareciam mais incomodados com as temperaturas elevadas que os seus adversários britânicos.

Logo aos 3 minutos, Best colocou os diabos vermelhos na frente e o Benfica acusou muito o golo. Depois, Kidd aos 4' e Charlton aos 9 minutos deitaram por terra o sonho encarnado. Até ao fim, os ingleses controlaram o jogo e os portugueses aceitaram o destino.

A maldição de Guttman continuava...

Capítulos
Comentários (1)
Gostaria de comentar? Basta registar-se!
motivo:
BA
não se fartaram ainda?
2013-06-03 01h29m por balqash
ainda não se fartaram dos relatos dos jogos do benfica quando este ainda equipava de cinzento?
jogos históricos
U Quarta, 29 Maio 1968 - 19:45
Wembley Stadium
Concetto Lo Bello
4-1
Bobby Charlton 55' 100'
George Best 97'
Brian Kidd 98'
Jaime Graça 80'
Estádio
Wembley Stadium
Wembley Stadium
Inglaterra
Wembley, London
Lotação127000
Medidas-
Inauguração1923
TEXTO DISPONÍVEL EM...